Eu Queria Ser Baixista!

Mais cedo ou mais tarde na vida  a gente se depara com alguns dilemas.

Mais cedo ou mais tarde na vida de quem escolheu amar a música e levar adiante essa cachaça, a gente se depara com alguns dilemas. Um momento que eu acho que todo músico(a) passa é quando precisa explicar para alguém que não entende muito de música, como a música funciona 'por trás do bastidores', seja na composição, produção ou mesmo na execução. Por o que se destaca para 95% das pessoas 'normais' (brincadeira, amigos músicos!) são os elementos mais agudos, ou seja, é muito comum as pessoas curtirem muito as linhas vocais e as guitarras de uma música - deixando claro que eu tô falando aqui de rock e suas variantes.

Claro que essa sensação pode mudar em outros estilos (na música gaúcha tradicional se o cara não notar a gaita rocando a melodia já é alvo de chacota!). Ainda que seja natural essa sensação de que a voz e as guitarras são sempre o destaque, isso parece que deixa lá pra trás elementos fundamentais para qualquer boa música de rock/metal - e para mim, um desses elementos é o baixo. "Ah, mas aquilo não é a guitarra??" perguntam algumas pessoas, e lá vai o músico(a) fazer cara feia para explicar que não tem nada a ver. Mas a verdade é que nós músicos precisamos sim, sempre que possível e com alegria no coração, explicar para as pessoas a riqueza e a beleza de cada instrumento e como cada um contribui e constrói uma boa música.

E o baixo, nesse sentido, pode passar desapercebido para algumas pessoas, justamente por que a sua função não é ficar no destaque, mas sim sustentar e dar coesão pra música, fazer uma "cama" para todos aqueles guéri-guéris e xalalás que os guitarristas e vocalistas tanto amam - e que não seriam nada se não fosse a sempre presente "cozinha" (baixo e bateria) segurando o peso, o suingue e o motor de cada boa música de rock.  

Quando comecei minha vida na música (e lá se vão uns mais de 20 anos) eu sempre ficava  de ouvido bem aberto, colado nos falantes, para entender o que estava se passando lá atrás daquelas guitarronas e dos berros do AC/DC, do Black Sabbath, do Iron Maiden e tantos outros que tanto me chamavam a atenção. E talvez uma das maiores lições que eu aprendi (que quando a gente é bem novo nesse negócio de música não dá bola) é que para a música funcionar DE VERDADE, o que a gente faz no instrumento é tão importante quanto o que os teus parceiros de banda estão fazendo - e uma vez que a gente entende isso, tudo muda. Se abre um caminho para tocar ainda melhor, compor músicas que a guitarra a voz se complementam com o baixo e a bateria e isso, meus amigos, é que é o verdadeiro ROCK. Mais do que tudo, música é respeito pelo outro, por que nada se faz sozinho.  

Deixo aqui um PUTA abraço ao Léo Bacchi, Richard Zimmer, Rodrigo Zimmermann, Agatha Marques, Will Souza (M-19), André Lacet (Zerodoze), Beto Pompeo (Draco), Alex Guterres (Sindicatis Big Bando) e tantos, tantos outros  grandes amigos e baixistas que nessa vida pude me divertir, aprender e poder olhar com orgulho e dizer para aquele amigo ou amiga não entende muito de música e dizer: "não, aquilo ali é um baixo e aquele ali é o baixista, é um dos mais importantes de qualquer banda!"

Leonardo Bacchi

Rodrigo Zeilmann

Richard Zimmer

 

Texto por Fernando Rosa

1 comment

  • Lucas Rosa
    Lucas Rosa
    Aquele abraço pro pessoal da baixaria!!!

    Aquele abraço pro pessoal da baixaria!!!

Add comment