FARMÁCIA - O Cinema da Nova Geração

Um aspecto da vida urbana que criou raízes é o fato que temos cada vez menos espaço para a sabedoria das plantas.
 

Tá cheio de erva na nossa cultura,

tá cheio de erva na nossa mesa.

O alecrim que tempera a porca
Boldo e funcho que regulam o bucho
Sálvia, cidró e carqueja
Moída da grossa para um amargo mate
A Flor do lúpulo que dá sabor a cerveja

Tá cheio de erva na nossa cultura,
Tá cheio de erva na nossa mesa.

 


Um aspecto da vida urbana que criou raízes e cresceu muito mas que, curiosamente, quase não se percebe é o fato de que temos cada vez menos espaço para um conhecimento enorme escondido nas plantas.  

Talvez porque o conhecimento era passado de ouvido em ouvido e, cada vez mais temos menos tempo para ouvir de verdade. Talvez por que para se conectar a esse conhecimento seja preciso desplugar de outros. Bom, talvez se tiver uns canais no Youtube, fique mais fácil. Mas que não seja um vídeo muito longo né, senão não dá.  

Curioso que a gente talvez não lembre onde ouviu, mas sabe cada vez mais sobre a sabedoria escondida no cinema da nova geração (como diz o nosso parceiro espacial Carlinhos Carneiro): a farmácia.

Vivemos em uma época incrível, se a gente parar para pensar. O conhecimento do outro lado do mundo compactado numas caixinhas de papelão e que na hora de um aperto - na barriga, na garganta ou na cabeça - podemos ir lá a qualquer hora, esfregar ou aproximar um pedaço de plástico em uma máquina eletrônica e pronto: já posso levar para casa e engolir esse conhecimento na busca de um alívio. 

Mas também é a época que menos se acumula e menos se passa adiante o conhecimento que está bem perto da gente, compactado numa folha, numa raíz, em uma fruta ou em uma flor - que pode não parecer, mas é muitas vezes o mesmo que está nas caixinhas de papelão colorido. Aquela planta ali no canto do pátio da sua vó, no meio do corredor de ônibus ou crescendo solta num terreno baldio - do lado da farmácia - pode ser um alívio para alguma dor na  barriga, na garganta e até na cabeça. Aquele ser ali, batalhando um pouco de sol e nutrientes, acumula milhões de anos de um conhecimento que está acessível para quem manteve a habilidade de ouvir. Mas é quando o barulho da televisão, do trânsito e, principalmente, do preconceito é mais alto? 

 

Engarrafamento em Túnel - Foto por

 

Em um estudo realizado em 2009 na Zona Sul de Porto Alegre foram entrevistadas sete pessoas que, juntas, detinham o conhecimento sobre cento e quarenta e uma espécies de plantas medicinais. Cento e quarenta e um jeitos de tornar a vida cotidiana um pouco melhor, de aliviar uma pressão.  Na comunidade do bairro Lami, a transmissão desse conhecimento se dá principalmente entre vizinhos, que trocam mudas de plantas e receitas caseiras. Essa troca leva à incorporação de novas plantas, reforça laços sociais e contribui para a manutenção desse conhecimento na comunidade.

É muito legal saber que essa habilidade ainda é cultivada aqui perto da gente, por quem acredita que conhecer a terra e os seres que vivem nela é importante.  Mas com cada vez mais concreto, farmácias e ansiedades e cada vez menos terra, plantas e sabedoria no nosso dia-a-dia, quem vai proteger e passar adiante o que as plantas tem para contar daqui a 10, 20 ou 30 anos?  

 

 

As plantas, por outro lado, vão seguir acumulando e transmitindo sabedoria, como fazem a milhões de anos. Manter vivo esse conhecimento, para além de ser um esforço de escutar, é um esforço de respeitar. Respeito pelo conhecimento e pela presença dos mais velhos. Respeito pela biodiversidade, pela diversidade de opiniões. Respeito pelo vizinho, respeito pela nossa cultura e pela cultura de outros povos que já estavam aqui antes, bem antes da gente e daquela farmácia 24h.

 

Texto por Nando Rosa

 

 

 

 

1 comment

  • CARTEL DA CEVADA - ROCK BAGUAL
    CARTEL DA CEVADA - ROCK BAGUAL
    E tu, meu? Também é pilhado nas plantes, na natureza, no conhecimento que ela carrega desde sempre para nos ajudar nas mazelas que pintam na nossa vida? E tu já foi conferir o clipe novo Capim Loucura no Youtube?! Tá esperando o que? Vai logo, caceta! https://youtu.be/wvKD81T_TdM

    E tu, meu?
    Também é pilhado nas plantes, na natureza, no conhecimento que ela carrega desde sempre para nos ajudar nas mazelas que pintam na nossa vida?

    E tu já foi conferir o clipe novo Capim Loucura no Youtube?!
    Tá esperando o que?
    Vai logo, caceta!
    https://youtu.be/wvKD81T_TdM

Add comment