Cartélico Vol.1 - Rock, Cerveja, Churrasco e Amigos!

Que noite, que festa, que momento para se guardar para sempre na memória e no coração!

Na memória nem tanto porque o povo do Cartel gosta de entornar um suquinho de cevada mas tá louco tchê, foi muito emocionante! 
Ver um plano mirabolante destes sair do papel, de forma
totalmente independente e financiado diretamente pelos nossos fãs e amigos do início ao fim, não tem explicação.

 

Essa história começou a muito tempo atrás, numa reunião ou ensaio do Cartel da Cevada, onde, entre uma música e outra, comentamos: "Bah, um dia, a gente precisa pegar a história que começamos a contar na "Barbada" e fazer um álbum conceitual, contando uma história ao longo das músicas, cheio de personagens, com vários sons diferentes e tal". Uma ideia bem doida - doidera é o que mais sai num ensaio do Cartel. Mas no contexto de vida de uma banda, essas ideias malucas não morrem: ficam em algum canto, hibernando, esperando um momento certo para atingir uma massa crítica, sair da caixa e ganhar vida. 

 

Anos se passaram na história do Cartel e, em 2016, com o apoio dos nossos fãs, amigos, parceiros e da Secretaria de Cultura de Porto Alegre, essa ideia maluca se transformou em realidade e foi batizada pelo capeta de Cartélico Vol.1: Fronteira, Trago e Querência". Com um álbum conceitual, a gente conseguiu despertar um sentimento de diversão nas pessoas que parece um pouco esquecida, que é a sensação de ver uma boa história sendo contada - algo muito massa, que a velocidade da vida de hoje em dia parece fazer esquecer... 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Em 2017 nos pareceu lógico querer mostrar musicalmente e visualmente toda essa história da melhor maneira possível, como a gente imaginou em tantas e tantas horas. Nada melhor do que apresentar isso num dos melhores teatros da cidade, mais uma vez confirmando que rock também é cultura sim. E nada melhor MESMO do que fazer isso tudo se tornar real novamente com o apoio de quem gosta do nosso trabalho, e acredita que música é feita para se divertir, viajar, emocionar, curtir e passar bons momentos. 

 

 

 

 

 

 

 

No dia 30 de novembro de 2017 a história do #rockbagual ganhou um capítulo antológico, o ponto alto de uma trajetória super bacana construída com o amor dos fãs e amigos, dos músicos convidados, da Secretaria de Cultura de Porto Alegre, dos fornecedores e parceiros que estiveram conosco colocando um baita evento de pé que acima de tudo foi uma celebração da boa música, da amizade e da diversão. 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


Muita coisa pode ser feita por uma banda de rock independente, com esforço, suor e alegria. Ao mesmo tempo, nunca foi tão importante a participação ativa de quem acredita. Mesmo com tanta coisa errada por aí, que época legal onde a gente pôde ver tudo isso acontecer.

Em especial gostaríamos de agradecer nossas famílias, mães, pais, esposas namoradas irmãs e irmãos de sangue e de luta, de música, de rock n' roll e de alma. Nossos velhos e novos amigos, que de alguma maneira colocam sua energia para perpetuar o espírito do Cartel da Cevada.  

Mesmo correndo o risco de sermos injustos por acabar esquecendo de alguém, precisamos destacar algumas pessoas que foram fundamental nesta produção. Estas pessoas estão, estavam e sempre estarão ligadas ao cartel da cevada por amor, carinho e amizade.  

- Vitor Petroski, maestro da live mix, obrigado pela monstruosidade sonora a qual todos presenciamos  

- Gilberto Six e Taylor da TL Iluminação, luz e ação, clima e ambientação, obrigado por iluminar nossa noite  

- Felipe Piantá, mestre de cerimônias, shaman, pajé, curandeiro e estrelado  

- Gabriel Siqueira, Felipe Paedo, Christ Oliveira, Leo James, cavalos marinhos e anjos da guarda  

- Rodrigo Velasco e Studio 441 pela sonzera de guitarras que testemunhamos, não teria sido possível sem vocês  

- Michelito, Vanessa, Lucas e Helena, os aventureiros do bairro com copos de ceva proibidos   

- Max e Fúd Gastronomia e Leonardo e Vidal pelos shoripans e pela fumaça  

Rafael e Júlio da Diefen Bros pelo liquido benzo do capeta, sagrado do rock n' roll, pelas deliciosas cervejas  

- Thais Kapp e Julia Assef por serem coração e voz desta e de tantas outras aventuras  

- Rafael Porto, Luciano Burger e Agatha Marques, pelo trabalho fenomenal com as animações, ilustrações e artes  

- Eduardo Polidori, nosso contador de histórias projetadas e personal alto astral de todo mundo  

- Jo Narvaez e Lucas Azumbuja,  pela disponibilidade de carinho e parceria e por influenciar diretamente nossa atmosfera campeira e bagual   

- Júlio Souza e Alexandre Birck, por estarem conosco e registrarem nosso grande momento  

- Liny Oliveira e Marcelo Schimitd, por serem nossos olhos e corações preparados para eternizar momentos que não podem ser esquecidos  

- Aos funcionários da Secretaria de Cultura de Porto Alegre, Coordenadoria de Música, Estúdio Geraldo Flach e todas as pessoas da equipe técnica do Teatro Renascença  

- Cristiano Wortmann, Felipe "Galo Mistyco" Freddo, Izmália Ibias, Richard Zimmer, Rodrigo Zielmann e Carlinhos Carneiro, pela parceria eterna e honra de dividir o palco com vocês  

E principalmente tu, que apoio as vaquinhas, comprou ingresso, compartilhou, curtiu e espalhou nosso som e nosso espírito rockeiro bagual embriagado por tudo quanto é pago. TU que bateu cabeça, invadiu o palco e gritou alto pra caralho, Tu é foda!!!!


 

 

 

 

 

 

De coração, o nosso MUITO OBRIGADO!  

1 comment

  • Jane Rosa

    Jane Rosa

    Eu que acompanhei desde o início esse caminho de vocês e que antes de ser fã, coloco meu coração, por motivos óbvios, torço e vibro com cada conquista da Cartel e aplaudi de pé esse show. Vocês são demais, simples assim. Parabéns queridos.

    Eu que acompanhei desde o início esse caminho de vocês e que antes de ser fã, coloco meu coração, por motivos óbvios, torço e vibro com cada conquista da Cartel e aplaudi de pé esse show. Vocês são demais, simples assim. Parabéns queridos.

Add comment